sábado, 14 de fevereiro de 2009

Não existem verdades absolutas
que me fazem ter a mais absoluta certeza
de que o que eu quero é você.

Na realidade, na doce rotina
o que eu quero mesmo é ter a mim mesma
Não em pedaços, amargos, soltos, perdidos em meio a tantas profecias.

Me quero inteira, amando...
Como saber se a tua verdade combina com a minha?
Sigo tentando acreditar na resposta dos teus olhos
Límpidos, brilhantes e cheios de esperança.

Encontro então respostas...
Clareios.
Visões.
Lembranças.
Como dói constatar metade da vida passada em branco.
Que você estava ali...tão perto, tão acessível, tão pra mim.

Grito pra mim mesma as minhas verdades absolutas e quando a conclusão chega
O tempo parece meu maior inimigo.

Mas agora, é juntar os pedaços e tentar fazer dignamente nesta vida.
O que me propus um dia
E te amar, amar, amar...amando a mim mesma.
Porque em ti, veja a versão mais bonita de mim.

Um comentário:

Lizzy disse...

"Não existem verdades absolutas
que me fazem ter a mais absoluta certeza de que o que eu quero é você".


Profundo....bem profundo
:*