sábado, 9 de maio de 2015

O cansaço vem acompanhando de novidades
Não tão quentes, não tão fortes
Apenas com tranquilidade que se encara.
Afinal, ainda resta história para traçar

E não dá pra se definir, apenas se encontrar, se encarar
O olho já está esbugalhado de tanta realidade
Mas afinal, será que existe fato mais chocante do que se amar?

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Cabeça,
que deita,
que chora
que clama.

pra cima é que se anda
não há outro caminho.

Desisto porque não é fácil
o que estou fazendo aqui mesmo?
Me contrarie!

Fui pro fundo do poço.
Mas o caminho não era pra cima?

ops, a cabeça manda pra cima,  mas o verdadeiro caminho
é o coração quem dita.

domingo, 21 de setembro de 2014

No alto, mãos ao alto!
Pra cima é que rima
E eu cansada
Só que, no que me fascina.

De dia, só alegrias
À noite me torno insone
A luz que me ilumina
Só me trás nostalgias.

O conforto é que me anima
De longe, a melhor saída
O esforço que me arrepia
É ser nota dez todos os dias.

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Nem tudo está perdido, ele ainda sente ciúmes...corra Lita, corra...

quarta-feira, 6 de março de 2013

Sou mal lavada, mal enxaguada, mal torcida.
Sou encardida.

terça-feira, 3 de julho de 2012

Avaliar o perfil do Facebook de um profissional pode ser uma boa forma de medir o desempenho que ele terá no trabalho, segundo um estudo feito por professores das universidades americanas de Northern Illinois (EUA)Evansville e Auburn.

Na pesquisa, três recrutadores especialistas em mídias sociais analisaram o perfil de 56 estudantes universitários usuários do Facebook por cerca de cinco minutos e usaram as informações disponíveis na rede para avaliar a personalidade desses jovens. A partir do número de amigos, interesses, fotos e interações no mural, os especialistas identificaram cinco traços de personalidade: receptividade, consciência, extroversão, afabilidade e estabilidade emocional.

Seis meses depois, esses relatórios foram comparados a uma avaliação do desempenho dos jovens no trabalho, feita pelos seus empregadores. O estudo encontrou fortes relações entre os dois materiais e muitas vezes os perfis identificados pelos recrutadores por meio do Facebook foram mais precisos do que outros testes de personalidade comumente usados por profissionais de RH na seleção de candidatos.

Um exemplo de como o perfil na rede social pode ser relevante para o mapeamento da personalidade é a relação entre receptividade e curiosidade intelectual com a variedade de livros, citações famosas e posts que mostram a abertura do usuário a experiências novas. Outra relação se dá entre o número de amigos e interações frequentes e o nível de extroversão da pessoa.

Segundo o estudo, a falta de conscientização pode aparecer nos perfis na forma de pouco cuidado na hora de se comunicar e falta de disciplina. Já o conteúdo que indica uma tendência a mudanças bruscas de humor pode demonstrar pouca estabilidade emocional. 

sexta-feira, 22 de junho de 2012

A toa...

Deitei pensando nas possibilidades
O que fazer para agarrar a minha?
Olho para os lados e vejo saltos, rímel, gravatas
E a chuva prometida, cai.

Não estou disposta ao batom
Mas aceito a pérola.
Prendo o cabelo no dia cinza
Sonhando domar as minhas ideias.

Quando o reflexo me incomoda
Me sinto desorientada
Nada em volta me alenta
Nem as possibilidades.

E então reflito sobre o todo
E o que tenho ao meu lado eu não via.
Um sono tranquilo de quem me guia
Em busca dos sonhos em busca da vida.

terça-feira, 3 de janeiro de 2012

E assim vai
Nada de errado
Só a vida no seu curso
E eu mais uma me achando única.

E assim continua
Pensando no amanhã
Iludida com a mudança do ontem
E pensando no que será...

E nada de errado
Cadê a voz ativa?
Se perdeu em mais um cartão.

Existe o tal do coração?
Ele sabe do ontem e do amanhã.
Só não entende o hoje,
o único que ele pode emocionar.

E assim tudo para
Mesmo que a vida siga
E o destino me manda pro canto
Dizendo que não há voltas, só acordos.

segunda-feira, 12 de dezembro de 2011


O que é o tempo, senão o conta gotas que me consome?

terça-feira, 20 de setembro de 2011

Sapatos - 19/12/09

Não tenho sapatos
Todos fugiram para longe
Onde os sonhos se concretizam
E a realidade não existe.

Os sapatos queriam me levar
Mas as contas não deixaram.
E a moral me acabou
E a reflexão me surpreendeu
Meus sapatos foram então embora.

Não tenho mais sapatos
Só pés calejados esperando por misericórdia
Que o dia acorde em paz
E eu siga um caminho de poucas mágoas e apenas um sapato.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Reflexões

Não gosto de Bob Dylan, mas gosto de Neil Young (não perguntem o que uma coisa tem a ver com a outra).
Gosto de todas as músicas dos anos 80, mais Hard Rock, pois este é um estilo de vida. No meu mundo imaginário sou vocalista da Heart.
Não acho a Natalie Portman tudo isso, mas em Cisne Negro ela arrasou.
Também não acho o Brad Pitt bonito, mas pegaria a mulher dele :P
...adoro novela, cresci em frente a tv e já chorei pela Madonna.
Minha noite perfeita é um show de banda local, estilo adolescente com cerveja gelada e uma pina colada pra lembrar que também sou criança.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Não espere surpresas. Você não é especial e ele sabe disto.

sexta-feira, 8 de julho de 2011

Me achei perdida.
Olhando para os lados sem saber para onde ir.
Nos bolsos nem a agenda
Com nomes que um dia conheci.
Busco nas arvores noção do tempo
Mas no balanço das folhas, mais me perco.
Encaro sol como um desafio
Pensando em como seria a chuva
Ácida, fria, intensa,
lembro que um dia fui assim.
Olho para os lados novamente para ver rostos familiares
Mas não vejo ninguém que queira ser visto.
Procuro nas calçadas sinais de infância
Mas só encontro o tempo futuro.
Me abraço como querendo um carinho
E sigo...cabelo preso, olhos vivos e nenhuma certeza de onde vim.

terça-feira, 24 de maio de 2011

Te perdi durante horas
Te achei nos meus minutos,
guardados, amarrados, suados.
Te vejo puro, sorrindo
Me consumindo.

Quero ficar contigo
Todos os dias
É o melhor da minha vida.

Te perco nos meus problemas
Que anseiam pelo futuro
Que nunca chega.

Teu consumo é alto
Meu futuro é claro
É ao teu lado.

O pisca do teu carro não é opcional.

Essa foi de 09/01/10.

segunda-feira, 7 de março de 2011

Perdi as esperanças
Agora me contento com algumas gotas

Me sinto presa
O limite é a estrada que não sei pra onde leva.

Ligo a luz
Mas ela não ilumina a verdade.

Perco o sono
Mas ele aparece oito horas depois.

Sinto saudade
E ela poderia estar perto.

Sinto fome
Do doce, do caldo, do alento, do desespero.

São oito cômodos
E não consigo ficar em nenhum.

Pior é lá fora onde sol não me esconde.

domingo, 20 de fevereiro de 2011

Black Swan

Falar que o filme Cisne Negro é maravilhoso, é pouco. Este é um filme que só toca as pessoas sensíveis, mas principalmente as mulheres que foram criadas somente pela mãe. Apesar da sutileza com que algumas situações foram tratadas, quem passou por isto percebe que o bom tom está longe de regrar esta relação conturbada e que está sempre no limite do amor , ódio e culpa.
Quem em sã consciência, fora de uma sala terapêutica admite que muitas vezes odiou a própria mãe sem sentir uma culpa enorme, que os pensamentos adolescentes fazem com que esquecemos que a vida é assim desde que nascemos é um eterno corte do cordão umbilical?
O filme mostra a libertação de uma jovem que consegue não só cortar este cordão, mas como também crescer como pessoa, através de um desafio na sua profissão. Ela é bailarina, mas poderia ser médica, policial, pedreira, administradora, doméstica. O balé proporcionou ao filme, uma linguagem poética sem ser aquela história arrastada, que chega ser cansativo de tão enrolado, como alguns filmes do gênero parecem ter como regra. Ao contrário, o Cisne Negro consegue contar em duas horas um pouco de cada nuance, de maneira intensa em que nenhuma cena é um desperdício para o telespectador.
Para nós mulheres que crescemos com nossas mães, tentando não nos sentir culpadas pelo nosso sucesso, atendendo expectativas infundadas, cobranças que só as mais inteligentes entendem, o filme é uma libertação individual. Onde qualquer uma de nós pode assumir sua personalidade, sua sorte, sua história e seu futuro com promessa de surpresas e desafios que conseguiremos encarar. Em um dos diálogos o mentor diz a Nina que o seu inimigo estava dentro dela. É a verdade absoluta, nos libertar das escolhas dos outros é a mais difícil escolha e a mais importante para se ser feliz.
Quando nasce o Cisne Negro, o cisne branco morre. Não precisa ser assim, aliás, temos que ser capazes de assumir vários papéis. Mas o filme era poético, sublime, e para Nina ser livre, ela teve que matar seu cisne branco, assim como muitas de nós passamos a vida inteira tentando esconder nosso cisne negro.
Mas de qualquer maneira, ver na tela o crescimento daquela mulher, me faz refletir sobre a responsabilidade de ser mãe e principalmente, a me preparar para o dia em que a minha Nina, girará e abrirá suas lindas asas negras, prontas para voar para longe. Espero que meus olhos úmidos carreguem a esperança de que um dia ela irá visitar e eu tenha passado a ela, a coragem de ser quem é, seja com asas brancas, negras, azuis, vermelhas...

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Sem dúvida é muito bom nutrir carinho por alguém mesmo distante.
Desejar coisas boas, tras muitos mais benefícios a quem nutre calor no coração, do que para quem de longe, é acarinhado.
Não se leva nada desta vida...mas se deixa muitas lembranças.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Decepção, desilusão

Existe alguma linha que separe a expectativa da realidade? Fico me perguntando em que ponto cheguei e se valeu a pena ficar resignada, tendo como prêmio o amor escolhido, alimentado, encontrado.
Fico me contentando com migalhas, que vem quando eu menos espero. Tento ser forte, indiferente para não demonstrar efusividade e assustar quem esta comigo, mas é fato que a minha natureza grita todos os dias que amar é muito mais que pagar contas e compartilhar a rotina.
Sinto falta dos olhos nos olhos, dos abraços sem hora marcada, do calor do peito que sei que existe, mas que talvez eu não tenha o talento para acender.
Fico me perguntando onde me encaixo em tudo isto, tentando entender porque a falta de atenção, carinho, paixão me fazem diferença, eu que nunca tive muito e sempre esperei pouco, procurando no mundo a minha volta, motivos pra voltar pra casa e tentar ser feliz.
É um castigo a minha realidade, por vezes ter rejeitado a quem tanto me amava e queria o mesmo do que eu tanto anseio hoje?
O medo deste castigo me faz ficar arredia, sonhando, esperando, me decepcionando.
Não sou convencida e tenho baixa auto estima, mas os fatos sinalizam para um prêmio na estante, daqueles móveis que só falam na hora certa, só respiram quando não incomodam ninguém e por vezes recebe flores como sinal de desculpas não sentidas, é só pra tudo ficar bem.
Fui esquecida na masmorra. Não podia ir ao banheiro, não podia ter fome, não podia amar. Só me restava escutar as risadas ao longe, torcendo que sobrasse um pouco de assunto para mim.
A esperança veio em palavras doces e cruéis, que diziam que eu deixava saudades. O perfume no meu corpo se tornou podre e o meu coração amargo, machucado, perdido.
Não sei qual caminho a seguir, mas encontro dentro dos armários, remédios que me tiram a dor e me fazem sonhar. Neles encontro meu pai, minha mãe, minha avó. Eles fazem um ninho, cheio de irmãos que não tive, todos me esperam felizes, querendo a minha presença e não só a minha estada num quarto vazio, onde eu ficaria esperando a hora do jantar.
Imaginei mil vezes aquela cena. Ela é um espelho do que esperava para um fim de tarde. Eu, meu anjo e meu amor, aquele que escolhi pra vida toda. Mas eu não sou seu sonho de consumo, não o completo, não lhe dou amor, não faço boa companhia. Sou um bichinho que de vez em quando ganha carinho e sou levada pra passear com cafés da manhã de princesas ou tardes no shopping.
Seria tão mais simples me perguntar do que mergulhar na cerveja e me deixar brincar.
Seria tão mais fácil me amar, me acarinhar, me tratar...seria mais fácil, se eu fosse para sempre. Mas não sou.
Afinal, o que sou? Para mim, alguém especial que merece mais do que um simples Boa Noite, to ali embaixo.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Eu esperava a tua mão nas minhas
Eu esperava tuas palavras me chamando pra te acompanhar
Eu esperava teu sorriso que prometiam surpresas
Eu esperava por esperar
A caminhada a dois
As fotos a três
Teus dedos mexendo nos meus cabelos ao vento
Teu abraço quente
Minha orelha gelada
Tuas palavras carinhosas
Eu esperava pela noite a dois
Com o barulho da chuva
E a promessa de dias divertidos
Eu esperava pelo beijo aberto e não pelo toque fino, daqueles que são só para constar.
Eu esperava esquecer o dia a dia
Das noites frias
Em que você tão longe está
Esperava encontrar o teu verdadeiro eu, aquele que falava dos meus olhos que um dia fizeram teu sino tocar.
Eu esperava ficar efusiva, entertida, encantada, apaixonada.
Eu esperava a realidade dos meus sonhos
Mas o que tive foi o pesadelo do ano inteiro.
Eu esperava manter a esperança
Mas você nem nasceu.
Ops, nem eu!
Se esta espera não existe
E eu resisto ainda
A sonhar.

domingo, 2 de janeiro de 2011

Algumas horas são bem estranhas
Sentimentos sobre ações que não te pertence.
Olhares curiosos
Fazem das horas eternas.

Como avaliar?
O negócio é meter os peitos
Lembrando, passado nunca se esquece.
Sempre se encontra alguém na esquina que fará questão de te lembrar.

Daquelas horas em que tudo parecia inocente.
As ações não te pertenciam
A autoria sim.

Tem preço?
Mas afinal, como avaliar se as horas são eternas?