terça-feira, 20 de julho de 2010

Desacato.

Procurei um serviço prestado pelo governo, pago com o meu imposto, que aliás, no ano de 2010 além do que me é retido na fonte, me comeu mais alguns reais e me surpreendi ao ver em sua mesa uma plaquinha que além de me proibir de utilizar o celular no momento do atendimento, também me alertava que se eu desacatasse o funcionário público eu poderia ser presa, nem sabia que eram autoridades, mas sim profissionais que deveriam me atender de forma eficaz.
Me senti ofendida. Vemos todos os dias tantos serviços mal prestados, tantos absurdos, tanta má vontade em resolver os problemas do cidadão que aquilo estragou o meu dia. Fiquei me perguntando, e se eles fizerem pouco caso do meu problema? E se eles dificultarem? E se não forem pró ativos? E o pior, que é o que acontece com a maioria, ter seus problemas menosprezados por se ter poucos recursos, por ser humilde e sem informação. Já vi muitas pessoas com problemas simples de serem resolvidos, serem engolidos pelo sistema e terem a solução de seus problemas adiados anos e anos por causa de informações mal prestadas.
Não sei se esta plaquinha se encontra em todos os locais onde se atende o cidadão contribuinte, mas se virar padrão, vamos transformar estas pessoas em semi deuses.E então me pergunto se eu deveria fazer alguma coisa, se eu devia perguntar ao funcionário público a minha frente, o que aconteceria se eu fosse mal atendida, se eu me sentisse menosprezada. Certamente a resposta seria eu fazer uma reclamação formal e aguardar a solução, tudo com a maior calma do mundo, já que posso ser presa. E valeria a pena tal indisposição correndo o risco de cair na mão de quem tem acesso a todos os meus documentos, sabe onde moro, o que faço para viver e a minha renda?
A ofensa que não foi pessoal, que está disponível à mesa de um funcionário público, me fez refletir sobre como somos pequenos diante da máquina do estado e dos maus serviços prestados que são pagos por nós contribuintes. Lembrei naquele momento do meu contracheque e do dinheiro que deixei para o governo de graça, porque muito pouco usufruí ou usufruo dos tão falados bens sociais. Não ganhei casa do governo, não ganho cesta básica, não utilizo o SUS e não ganhei bolsa universidade e todas estas facilidades existentes para se estudar. Então, com não me sentir ofendida ao procurar um dos poucos serviços por mim utilizados ao ler que posso ser presa se desacatar um funcionário público? Fiquei com aquela sensação que temos quando assistimos ao espetáculo ruim, querendo o meu dinheiro de volta!

Um comentário:

Lizyane Lima disse...

E quase que impossível não chegar armado (figurado) em frente deste funcionário e ficar pisando em ovos a ponto de olhar para os lados o tempo todo com medo DO que pode ser um desacato.
O que pode ser uma duvida pra mim pode ser um desacato pra ELES.
E revoltante como as coisas não funcionam pra gente.

E mais um grito no escuro.