quarta-feira, 5 de agosto de 2009

Um abrigo profundo
Um corpo no submundo
Um ordinário vagabundo
Nesta terra de consumo.

Trata asas como voa
Nessa "ora" que vida boa.
Esquece a hora da visita
Perde o rumo na vida.

Vasta área de lazer
"Ora" meus parabéns
Uma hora atrasada
O vagabundo não tem vez.

Resta só ficar rezando
Para que este abrigo profano
Ordinariamente "que engano"!
Não caia na timidez.

Me inspirei em colocar este, olhando o Primo Basilio.

Um comentário:

Jus Luna disse...

Não caia na timidez! Saudade lita!

Beijoo